O verão de Cris Barros

A estilista Cris Barros já tem cinco lojas, uma no Shopping Iguatemi

A estilista Cris Barros buscou inspiração em terras distantes para a próxima coleção de verão da sua marca. Tendo como base o figurino folclórico, colorido e com muito movimento dos Ballets Russes (companhia de balé de origem russa, sediada em Paris), todos esses aspectos serviram como ponto de partida para a sua coleção.

Seda e linho importado com amarrações deixando à mostra parte das costas fazem parte do vestuário. Em entrevista para a Vogue, segundo Cris essas características são “a maneira mais elegante de ser sensual”. A cartela de cores tem como referência os anos 70, com tons de amarelo mostarda ao laranja açafrão, além de neutros como azul marinho e castanho claro.

Pingentes, miçangas de ouro e prata envelhecidos, pedras rústicas e cordas dão uma textura especial e um toque étnico às peças.  Cris Barros a cada coleção tenta inovar e diversificar mais, mantendo-se sempre original.

Confira aqui as fotos da coleção!

A carreira

A estilista Cris Barros sempre esteve envolvida com a moda. Ela trouxe sua experiência como modelo no Instituto Marangoni, em Milão, e suas passagens pelos departamentos de marketing da Zoomp, e do portal iG, com o publicitário Nizan Guanaes, para abrir sua própria marca. No início a paulistana, além de dona, atendia ao telefone e cuidava do financeiro. Ela era sua própria modelo de prova.

A marca cresceu, e de um ateliê na zona sul de São Paulo, a cidade já conta com cinco lojas, uma delas no Shopping Iguatemi, e mais de 80 pontos de venda em todo o país. Suas criações também estão na loja Collette, em Paris, e conquistou um público fiel de árabes. Filhas e esposas de sheiks são fãs de seus trabalhos.

Em entrevista para o site Terra.com, a estilista conta mais sobre o seu trabalho e influências. “Sou meio contra essa coisa de fazer moda assim, regional. O que eu acho que vai acontecer muito é que quando você mexe com alguma coisa voltada para a criação, as coisas vão te influenciando. Se eu viajo para algum país, ele de certa forma me influencia”, disse.

Sobre filosofia de vida, a estilista confessa: “Tento encarar tudo de uma maneira otimista. Tipo, se não deu certo é porque não era a hora. É uma fórmula que tem dado certo, tenho conseguido curtir muito mais o meu trabalho do que antes. E isso se reflete na criação, no resultado final das peças, das lojas, das embalagens, das etiquetas”.

Foto: CoelhoVoador.net no Flickr

Autor: Mariana Valle

Blogger na rede The Diktyo SL.Cursando Comunicação Social - Jornalismo na UFRJ.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *