Alergia a bijuterias – Dicas para lidar com elas

Confira dicas para lidar com a alergia a bijuterias

Provavelmente você já teve, tem ou conhece alguém que convive com um terrível drama feminino: alergia a bijuterias. É só colocar aquele brinco novo que você comprou e sentir a orelha coçar e coçar até ficar bastante irritada. Mas como lidar com isso sem perder o estilo e estar sempre na moda? Vamos ver algumas dicas que ajudarão na solução deste problema.

Antes de ver como solucionar o problema, é interessante conhecer como que isso ocorre. Na maioria dos casos de alergia a bijuterias, o níquel é o maior vilão, pois está presente em diversos acessórios como colares, brincos e pulseiras. A razão do uso deste material é seu baixo custo, que facilita um preço mais acessível às peças de bijuterias. Ainda há casos em que o cobalto causa a alergia, mas independente disso ela é chamada de dermatite de contato.

Os sintomas são típicos de uma alergia: coceira, pele avermelhada, descamação da epiderme, eczema e formação de feridas em alguns casos, quando não é feito o tratamento correto. Mas por que então não deixamos de usar as bijuterias que causam este mal?

Seria simples se todas as mulheres que tenham o problema da alergia a bijuterias simplesmente deixassem de usar estes acessórios e utilizassem somente joias ou semi-joias banhadas ou de ouro e prata. Infelizmente isto não se adéqua ao bolso de todas as mulheres, ou melhor, da maioria delas. Além disso, a opção de acessórios de ouro e de bijuterias é muito diferente, pois as bijuterias acabam sendo mais ousadas e dão um complemento a mais ao visual.

Então, se “cortar o mal pela raiz” nem sempre é a melhor solução (ou a solução mais acessível à maioria), há cuidados que podem ajudar a diminuir os danos da alergia por contato:

  • Aplique uma base (esmalte) na peça de bijuteria para evitar o contato direto da peça sobre a pele. Isso não evita totalmente o contato, mas ameniza os efeitos.
  • Evite comprar aquelas bijuterias muito baratas, pois normalmente são feitas de materiais mais alérgicos. Prefira fazer um teste antes de comprar o acessório para ver se fará muito mal a você.
  • Existem diversos produtos que ajudam a amenizar a alergia como pomadas específicas, cremes com corticóide e anti-histamínico orais. É indicado que procure um médico antes de utilizar qualquer um destes produtos para evitar outros efeitos colaterais já que cada epiderme reage de uma forma. Vale lembrar que isso não soluciona o problema se continuar usando as peças.
  • Sempre que puder, compre peças com ouro puro ou antialérgicas (verifique nas etiquetas). Isso evita aquela coceirinha e deixa sua pele livre de vermelhidões.

Infelizmente não há uma formula mágica para o problema, mas seguindo estas dicas as chances de ter uma alergia a bijuterias muito forte e ficar com a pele machucada diminui bastante. Afinal, é preciso sempre ter cuidado para continuar usando os acessórios da moda, seguir as tendências e ficar de bem com a saúde.

Foto: Teseum no Flickr

Ex-baixista do CSS lança coleção de lenços

Iracema Trevisan do Cansei de Ser Sexy

Da moda para música e vice-versa. Esse foi o trajeto de carreira de Iracema Trevisan, ex-baixista da banda Cansei de Ser Sexy, que lançou este ano uma coleção de lenços para o B. Heart, linha de lenços que criou.

A coleção conta com seis lenços de seda numerados por ser uma quantidade exclusiva. A compra pode ser feita pelo site da marca . O preço varia de €140 a €300. A coleção é renovada a cada trê meses e sempre com um número exclusivo de peças. “Este projeto nasceu da ideia de que um lenço pode ser usado como um colar. A primeira coleção tem 6 itens, que são vendidos online, para que todos tenham acesso”, disse em entrevista para o site Dazed Digital.

A ex-baixista do CSS já tinha trabalhado na área de moda. Iracema cursou Design de Moda, em São Paulo, e trabalhou para Alexandre Herchcovitch, onde desenhava para a linha de jeans e para a parte de prêt-à-porter. A estilista também frequentava clubs alternativos e tocava baixo com um grupo de amigos, quando decidiram criar a banda CSS. O sucesso foi enorme e eles entram em turnê mundial. Em 2008, Iracema deixou o grupo para se dedicar à moda. “Eu senti que poderia fazer melhor, mas não na CSS, então deixei o grupo, me mudei pra Paris e tirei um tempo pra estudar”, disse ao Dazed Digital.

Depois, a ex-baixista foi à estudar design de moda na França, onde fez um curso de pós-graduação na área, no IFM (Instituto Francês de Moda) em Paris, além de ter estagiado na marca Lanvin. Hoje ela se dedica à carreira de estilista, fazendo trabalhos freelance além de desenvolver peças para a sua marca.

Trajetória da banda

Curiosamente, Cansei de Ser Sexy faz mais sucesso no exterior do que no país. Criada em 2003 sem compromisso por um grupo de amigos, a banda que tinha influência indie rock, ganhou visibilidade ao criar um Fotolog e aparecer na Folha de São Paulo. No ano seguinte, ela foi uma das atrações do TIM Festival e em 2005 participou do festival de música Campari Rock.

Ao longo dos anos a banda ganhou fãs de sua música alternativa e principalmente os palcos internacionais. Em 2006, eles assinaram um contrato com a gravadora Sub Pop para lançar o primeiro álbum, com músicas em inglês de própria autoria, nos Estados Unidos, Europa e Japão. Os hits do CSS foram tocados no Big Brother Brasil, no The Simple Life, seriado da FOX com a Paris Hilton, além de algumas músicas como Alala e Off the hook terem sido incluídas na trilha sonora de jogos como Forza Motorsport e The Sims 2.

A banda fez inúmeras turnês mundiais, incluindo na América do Norte, onde foi ao lado do Bonde do Role e do DJ americano Diplo. Além de terem participados de festivais como o O2 Wireless em Londres e o Pareces de Coura em Portugal.

Foto: Rigmarole no Flickr