Fashionlab: trabalhos colaborativos na moda


No dia 3 maio, a indústria da moda recebeu um novo meio para disponibilizar ideias criativas para as vitrines e passarelas: o site Fashionlab. É um site crowdsourcing (“criação coletiva”), com o objetivo de ser um espaço onde designers do mundo inteiro podem enviar seus trabalhos e ideias para projetos de pequenas, médias e grandes empresas da área de moda.

Este é um modelo de negócio novo que tem como característica o trabalho colaborativo. Seu principal objetivo é dar chances a qualquer profissional de moda para poder expor o seu trabalho.  O site é um sistema onde as empresas pagam por soluções realmente inovadoras, desenvolvidas por milhares de criativos do mundo inteiro. Há projetos em diversos segmentos do fashion business como estampas, tags, vitrinismo, moda praia e até uniformes empresariais, esportivos e de eventos.

O Fashionlab funciona da seguinte maneira: se uma marca de calçados pretende desenvolver uma linha de sandálias para a próxima estação, ela não precisa procurar por um profissional criativo para trabalhar neste novo projeto. A marca envia o seu projeto para o site, onde milhares de pessoas podem particar do processo de desenvolvimento dessa nova linha de calçados.

“O sistema funciona da seguinte forma: o usuário se cadastra e monta um perfil, uma espécie de portfolio online, e vai poder participar dos projetos, vai ter acesso aos briefings das empresas, que poderão solicitar croquis, desenhos, estampas, de acordo com suas demandas”,  explicou Felipe Carvalho, um dos responsáveis pelo site e pelo marketing online, em entrevista para o IG Moda.

Os usuários enviam seus trabalhos que ficam no sistema do site para passarem por uma seleção prévia feita pela marca. “Em seguida, os designers selecionados têm os projetos abertos ao público, e todo mundo pode votar”, disse Felipe. Os designers expõem seus perfis de graça e são as marcas que pagam para os projetos serem postados no site. Os trabalhos escolhidos são premiados e a marca tem o direito de usar livremente as criações ganhadoras. A premiação se dá em várias formas: uma visita à fábrica da marca, um estágio ou mesmo uma remuneração.

Segundo Felipe não é preciso ser estilista para poder  enviar seus trabalhos. “Podem ser pessoas que trabalham em outros segmentos, publicitários, arquitetos, designers, mas vai haver uma moderação, vamos filtrar projetos que não estejam alinhados aos briefings”, disse.

O site também conta com um blog, onde há matérias sobre moda feminina e masculina, tendências, blogueiros famosos e todas as novidades do mundo fashion.

Autor: Mariana Valle

Blogger na rede The Diktyo SL.Cursando Comunicação Social - Jornalismo na UFRJ.

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *