Estudar design de moda na França é o caminho

A Torre Eiffel é o principal monumento de Paris, a capital da moda mundial.

Paris é um dos pólos da moda mundial. É o sonho da maioria dos estudantes de design de moda ter um espaço na terra da Torre Eiffel. Mas como conseguir isso e onde estudar?

Os brasileiros que desejam ingressar nesse mercado, não vão encontrar tarefa fácil. Para estudar moda nas escolas de design de Paris e pela Europa, há exigências de formação prévia na maioria dos cursos. Mas cada escola tem seu caminho e apresenta uma multiplicidade de cursos interessantes e diferentes percursos, para dar uma abertura abrangente sobre o ensinamento.

Antes de ir a estudar a França, uma boa opção é estudar em alguma escola brasileira, fazer uma graduação e até uma pós. Melhor ainda, se está estiver uma parceria com os franceses. É o caso da faculdade Senac de São Paulo, que possui um convênio com a Esmod, primeira universidade de moda do mundo, criada em 1841.

De acordo com a Doutora em Comunicação e pesquisadora de moda, Carla Mendonça, à escolha do curso vai depender do perfil da estudante e também o valor financeiro disponível para esse investimento. Carla sugere que a estudante pode fazer um intercâmbio, durante a graduação, uma pós ou algum curso livre. Escolhendo o curso a partir do conhecimento que já tem conjugado com o resultado que pretende alcançar. De acordo com ela, estudar na França é um diferencial e proporcionará ao aluno aquisição de uma boa experiência e irá proporcionar a abertura de portas no mercado da moda nacional. Uma das escolas francesas que Carla indica para essa formação é a Studio Berçot.

Alex D`Paula, de 23 anos, é um belo horizontino formado e pós graduado em moda. Começou a trabalhar na área ainda no quarto período da graduação, com produção de moda e styling, mas ficou se identificou mais pelo estilo e desenvolvimento de coleções. Há três anos faz parte de uma equipe de estilo do estilista Renato Loureiro. A partir dessas experiências, ele decidiu ir para a Europa para se focar na área da modelagem, no bom corte e alfaiataria. Ele está cheio de expectativas e deseja ser reconhecido como criador, já que segundo Alex, a busca do conhecimento e de experiência no exterior o deixa mais próximo disso. “Quero voltar ao Brasil cheio de bagagem para exercer minha profissão aqui e arrombar a porta do mercado de moda, já que ele não permite que entremos com tal delicadeza”.

O mercado mundial da moda gera rendimentos financeiros bem expressivos. Segundo dados do comércio internacional têxtil, até 2014 a expectativa é que o mundo fashion gire algo em torno de 450 bilhões de dólares.

Foto: wlappe no Flickr

Autor: Jefferson Delbem

Blogger na rede The Diktyo SL.Graduação em Jornalismo.Sócio da Cola Comunicação.

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *