Estilista Lazaro Hernandez defendeu projeto de lei contra plágio

O estilista Lazaro Hernandez, fundador da Proenza Schouler defendeu projeto de lei contra plágio

A criação da moda virou tema de discussão nos Estados Unidos. Em junho, o estilista e fundador Lazaro Hernandez da grife Proenza Schouler defendeu um projeto de lei no congresso americano para proteger designers contra cópias. A participação de Lazaro visa reforçar os direitos autorais na área e desencorajar imitações.

O projeto de lei ainda será discutido e divide os advogados. Uma parte acredita que a lei pode provocar processos insignificantes, enquanto outro o lado defende que a cópia faz parte do ciclo da moda.

Lazaro enfatizou de que não se trata de reclamar dos direitos sobre de peças com design que já são de domínio público, como uma camiseta, mas sobre aquelas que tem um design original. O estilista teve sua bolsa PS1 (PROCURAR IMAGEM) reproduzida, no fim do ano passado, pela rede americana Target, mas até agora não entrou com um processo judicial contra a marca.

O trabalho na Proenza Schouler

Lazaro Hernandez junto com Jack McCollough são uns dos queridinhos da moda. Os estilistas entraram no ramo em 2002 ao fundarem a marca. A dupla começou a desfrutar de coleções famosas. Os dois se conheceram em uma escola de design e fizeram juntos o projeto de graduação. Eles também trabalharam com Marc Jacob e Michael Kors.

A dupla ficou popular por redesenharem de uma forma moderna bustiê e corpetes.  Eles também são responsáveis pela linha de casacos sob medida, saias lápis e vestidos de festas. Os dois foram sempre estilistas muito ecléticos, que buscam diversas referências, sejam utilizando a moda militar ou criando peças exclusivamente para diminuir silhuetas em suas coleções.

Os brasileiros já puderam conferir um pouco do trabalho deles, quando a Proenza Schouler ganha venda online no país. A marca inaugurou no primeiro semestre desse ano uma pop-up store na Farfetch.com e colocou a venda acessórios, como a famosa bolsa PS1.

A grife agora se encontra em uma nova fase de desenvolvimento, segundo uma declaração da marca, após terem um grupo de investidores como novo sócio. Em julho foram compradas 45% das ações da empresa. De acordo com Cathy Horyn, do New York Times, a marca pode vir a expandir seu trabalho em outras categorias, como o jeanswear.

Autor: Mariana Valle

Blogger na rede The Diktyo SL.Cursando Comunicação Social - Jornalismo na UFRJ.

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *