Dior apresenta coleção sem Galliano na Semana de Moda, em Paris

Semana de Moda de Paris

A Semana de Moda de Paris, no Museu Rodin, deu o que falar em setembro. Dior apresentou sua coleção verão 2012 ainda sem um novo diretor. O que foi visto na passarela foi uma continuação da coleção inverno 2011, feito pelo estilista Bill Gayten, apresentado em julho desse ano.

O look quadriculado marcou mais uma vez a coleção da marca, com visuais de couro colorido, tweeds em casacos e saias, além de vestidos transparentes feitos de seda. A apresentação teve um clima bem romântico, remetendo  aos tempos de Galliano, quando estava na direção da Dior.

A passarela era toda elevada e pintada de branco, com decorações em néon. A coleção foi simples e de extrema qualidade com um acabamento impecável. Mas deu a desejar e faltou um pouco das ousadias de Galliano.

Confira as fotos do desfile.

Destaques da semana de moda francesa

O desfile de Pedro Lourenço foi bem elogiado no evento parisiense. O estilista brasileiro misturou tecidos sintéticos com materiais metalizados, canutilhos coloridos e franja. Foi uma apresentação meio futurística.

Lourenço trabalho muito na silhueta e nos zíperes das jaquetas de couro que eram todas estruturadas. Golas, tecidos brilhates e de aparência plastificada, além de ombros marcados foram  algumas das novidades em sua coleção.

Muitos looks eram compostos por calças prateada e com tops pretos e de formas geométricas. Os blazeres e vestidos ganharam cortes angulares. Já os sapatos, criados por Alexandre Birman, também vieram com uma pegada futurística, com solados de rolos de madeira e amarração com corda.

Já a coleção da Mügler teve uma pegada roqueira.  Um dos desfiles mais aguardados da semana de moda se inspirou na cultura pop e digital. O ínicio da coleção foi marcado pela apresentação de vídeos com a Lady Gaga, usando dentes dourados, falando frases como “Welcome to Paris” e “I love Mügler”.

As peças vieram com um corte diagonal, relembrando a moda dos anos 90, com um estilo desconstruído. O diretor de criação,Nicola Formichetti, e Sébastien Peginé, estilista da linha feminina, usaram muitas aplicações com fendas, tecidos metálicos, drapeados e couro. Muitas roupas também eram furta-cor.

Apesar de tanta expectativa pelo desfile, acabou não agradando muito o público. As roupas tiveram um acabamento impecável e estavam bem feitas, mas o que era para ter como base a cultura pop e digital, não transmitiu de fato para a passarela.

Confira aqui como foi o desfile.

Autor: Mariana Valle

Blogger na rede The Diktyo SL.Cursando Comunicação Social - Jornalismo na UFRJ.

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *